TOY QUEST CLASSICS # 06 | FALCON – com Felipe Mônaco site Louco por Bonecos

Na segunda metade dos anos 70 com a crise do petróleo afetando a indústria dos brinquedos, a empresa americana Hasbro decide licenciar os direitos de produção para outras empresas no mundo daquele que era o seu maior produto naquele momento:os bonecos Gi-JOE. No Brasil, a Brinquedos Estrela lança o mesmo boneco, mas com um nome que suscita nossa curiosidade até hoje, o Falcon.
O Falcon, diferente do Joe Americano, o qual é mais voltado para as forças armadas, é mais focado nas aventuras do herói, e traz playsets magníficos e avanços como o cabelo flocado, técnica desenvolvida pela empresa britânica Palitoy.
Para falar mais desta preciosidade dos colecionáveis, convidamos um pioneiro da divulgação do hobby no país, o ator e colecionador Felipe Mônaco, criador do site Loucos por Bonecos.

felipeani02

TQ- Apresente-se para os nossos leitores:

Meu nome é Felipe Mônaco, tenho 44 anos de idade, coleciono bonecos desde os 6 anos idade e desde 2001 publico o site LoucoPorBonecos. Atualmente o site é voltado para a venda de roupas para bonecos escala 1/6, customização, e criação de novos personagens. As roupas são desenhadas por mim inspiradas nas fases áureas do GI Joe Adventure Team, do Falcon e seus primos Europeus como Action Man, Geyperman, Action Team e Group Action Joe.

TQ- Como surgiu a idéia do site Louco por Bonecos?

Meu primeiro objetivo era chamar a atenção para o universo dos colecionadores, divulgar que não só as crianças gostavam de brinquedos, mas adultos também. Paralelamente meu sonho era trabalhar na indústria de brinquedos. Por isso desde o começo eu divulgava minhas criações e projetos de marketing na área. O Louco nunca foi apenas um site sobre comprar brinquedos e tirar fotos. O foco sempre foi o do “faça você mesmo”, customização, criatividade. Acho que é como os adultos brincam.

001_acaocamuflada

Falcon Ação Camuflada: Um dos primeiros exemplares do Falcon a ser lançado pela Brinquedos Estrelas nos ano 70.

TQ- Como é o seu acervo hoje? Ele é constituído pelos bonecos originais da sua infância ou as peças foram adquiridas ao longo dos anos? Comente um pouco sobre esse processo:

Toda a minha coleção com exceção da linha Super Powers da DC Comics e alguns outros bonecos foi roubada quando eu tinha 14 anos. Foi horrível, tinha dezenas de Falcons de todas as nacionalidades, Star Wars, bonecos japoneses, cenários que eu tinha feito aos 13, veículos, bonecos desconhecidos que eram muito legais. Tudo foi roubado e os cenários destruídos. Fiquei muito triste e parei com os bonecos até os vinte e poucos anos. Aí a Toy Biz lançou os bonecos dos X-Men e como eu lia muitos quadrinhos, eu pirei. Comprei os X-Men, outros heróis da Marvel e DC, lembrei dos Falcons de novo e fui atrás de um monte de coisas: Star Wars, Cavaleiros do Zodíaco, cheguei a ter uns 3 mil bonecos. Aí eu vi que era demais e vendi um monte deles. Hoje tenho menos de mil e compro pouca coisa. O que eu mais gosto é criar os personagens. Não ligo muito em completar a coleção, gosto muito mais de comprar coisas quebradas e ir arrumando, criando novas possibilidades. Hoje concentro minha atenção no universo vintage 12 polegadas e construo meus próprios Falcons.

007_mergulhador

Falcon e um dos seus kits de aventuras: Alexandre Lopes teve este set e quase chora cada vez que vê esta imagem.

TQ- Hoje você não é apenas um colecionador e divulgador do hobby, você também realiza um trabalho de customização e conserto dos bonecos. Como é este outro trabalho?

Aprendi a customizar com os pequenos, Secret Wars e Super Powers, comprava repetidos, desmontava, misturava peças, esculpia com durepoxi e pintava de novo. Foi a base do meu aprendizado. Quando vieram os Falcons tive que aprender a abrir os corpos e trocar o elástico, com o tempo fui fazendo reparos mais ousados até que em 2011 comecei a desmontar cabeças olhos de águia e fazer as minhas próprias cabeças. Esse trabalho tem sido bem reconhecido desde 2015, tem até um pessoal no exterior que eu tô ensinando à distância. Tenho visto que quase tudo tem conserto, essa é a parte que eu mais gosto, pegar uma causa perdida e deixar incrível. Agora quero esculpir cabeças do zero, vamos ver no que vai dar.

TQ- Com a evolução de peças colecionáveis de luxo como as da empresa chinesa Hot Toys que produz figuras com exatidão em detalhes, como você vê o espaço dos Falcons ou Gi-joes vintage nesse contexto? 

Eu tenho 3 Hot Toys, Michael Jackson Thriller, Superman Christopher Reeve e o Stalone Barney Ross dos Mercenários. Gosto muito dos três mas não pretendo comprar mais Hot Toys. Acho muito caros e realistas demais. O Falcon é uma interpretação da realidade, uma versão do ser humano, é parecido mas não é fiel. Ele nem é um personagem, é um aventureiro genérico e cada um brinca como quer. Eu gosto disso pois dá espaço pra imaginação, os Hot Toys são muito delicados, as vezes precisam das bases pra ficarem de pé, e parecem figuras do museu de cera. São lindos mas não instigam a minha imaginação. Talvez seja uma coisa da idade e da época em que eu nasci. Imagino que as pessoas que tem 16 anos e R$ 1.500,00 reais pra gastar vão preferir os Hot Toys. Acho que o Falcon e o Hot Toys não competem. O Falcon é vintage, um ícone do passado, veja que o GI Joe tem mais 50 anos de idade e ainda é celebrado. É um mercado que vem diminuindo mas é muito fiel, talvez seja uma mercado pequeno demais pras grandes empresas mas tem gente como eu tentando manter a chama acessa no mundo todo e o público reponde bem. Vejo o Falcon e o Hot Toys convivendo em harmonia. Inclusive, acabei de pintar uma cabeça de resina super-realista no mesmo estilo Hot Toys. Vou mandar colocar cabelo (flocar) no estílo Falcon. Colocarei essa cabeça em um corpo vintage do GI Joe. Um híbrido entre Joe e Hot Toys, um “Hot Joe”. Acho que o resultado vai ser no mínimo interessante.

gi-joe-hot-toys-002

TQ- Quais são as peças mais queridas da sua coleção?

Com certeza as que eu venho fazendo desde 2014. Criei tantas roupas legais, fiz dezenas de Olhos de Águia com cabeças impossíveis. As pessoas vem aqui em casa e não acreditam que os meus são customizados, pensam que são importados sei lá de onde. Tenho alguns Falcons muito queridos, esses dias tive que remontar meu Torak pela segunda vez, não via ele montado há alguns anos e quando terminei fiquei impressionado com a sua simplicidade, funcionalidade, criatividade e beleza. O Condor também. A linha futurista do Falcon é incrível. Tenho um Spock da Mego Star Trek Motion Picture que é muito especial. Tenho um Jabba the Hutt que comprei com 13 anos de idade, há 31 anos atrás e está lindo, completo. (foi uma das poucas coisas que sobrou do roubo). A coleção Super Powers, pra mim é a maior e melhor coleção já lançada. O que foi feito naquela época pela Kenner ainda hoje impressiona, a fidelidade aos quadrinhos, a proporção entre os bonecos, não dá pra escolher um item só… Acabei de lembrar o Spectreman e do Dr. Gori 12 polegadas. Pois é, todos são favoritos.

spec001 spec002

TQ- O Cálice Sagrado: Em sua coleção há tanto os Falcons da Estrela, como também os Joes originais, existe algum boneco ou acessório relacionado a coleção que você ainda a procura? 

Não tenho as coleções do Falcon e do Gi-Joe completas porque eu só compro o que eu gosto e já tenho tudo que quero, não compro nada só pra completar ou fazer volume, então do Falcon não procuro mais nada. Mas quando roubaram quase tudo que tinha em 1987 uma das coisas que levaram foi um Tetsujin 28 DX da bandai. Acho que no Brasil e nos EUA o nome é Gigantor. Era um robô lindo da Bandai Japão com uns 45cm de altura, era gigante mesmo. Eu adorava esse Robô. Se digitar Tetsujin 28 DX no Ebay vai aparecer alguma coisa. Esse boneco é o que eu mais queria recuperar mas o preço hoje tá impossível. É de 2 mil dólares pra cima, já vi venderem por 5 mil dólares, 10 mil dólares. Aí não dá, não tenho essa condição e acho que um brinquedo não pode custar tanto mesmo sendo raro. Já ví vários no Ebay mas nunca cheguei perto de comprar. Talvez, se algum dia eu tiver a minha fábrica de brinquedos e ganhar o suficiente eu compre, mas por enquanto o Tetsujin vai continuar fazendo falta. Acho que o Tetsujin é um ótimo exemplo de como um brinquedo pode ser muito bem feito, detalhado, resistente e ainda permanecer um brinquedo.


Agradecemos ao Felipe pela participação e convidamos a todos a conhecer mais do seu trabalho e muito mais informações sobre o Falcon acessando o site www.loucoporbonecos.com.

Comments

comments

About Author

Alexandre Lopes

Para o alto e avante!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: